quinta-feira, junho 28, 2007

o aeroporto de Tallinn

o pior sítio da cidade de Tallinn chama-se Lennujam, aeroporto!
Tudo começou a 4 de Maio quando o Christian foi embora... chorei baba e ranho. Foi o princípio do fim do meu voluntariado, tal como eu o conheço
23 Maio foi a Lesya... foi pena, não sei se a voltarei a ver algum dia, mas não me custou muito...
Início de Junho foi o Jesus. De Portugal a Espanha já não vão 9 horas de distância! gostava de o voltar a ver, e sei que vai acontecer um dia. fui sozinha com ele ao aeroporto, apesar de não sermos assim tão chegados
10 de Junho foi o Georgios. o caos instalado de novo! Perdi mais um companheiro mediterrâneo que fazia o mesmo tipo de piadas e o mesmo tipo de esforço para estar a tempo e horas nos sítios combinados... Lá terei que ir à Grécia... chatice!
20 de Junho o Ben voltou para Marselha, para o estilo de vida do sul, como ele diz! Agora é Rock n Roll around the world! Ele prometeu vvoltar a Tallinn até Setembro, para ver a namorada que está cá até essa altura. Eu cruzo os dedos para que isso aconteça...
28 de Junho, esta manhã, foi a Alice, para Lyon. Desabou o mundo na minha cabeça... lá se foi a amiga, companheira de cozinhados. lá se foi a pessoa a quem eu ligava sempre e vice versa porque era de graça... Lá voltou a ma petite e eu cá fico...
Amanhã de manhã vai o Robert, companheiro das aulas de russo. Fomos os melhores alunos, os únicos a sacar um A (entre 91 e 100 %). Lemos Dostoyevski ao mesmo tempo, gostamos de Fred Perry e de Koop... mas vou ficar em casa dele em Berlim, por isso não será uma despedida assim tã triste, espero!
na terça feira que vem: pela manhã vai a Aude. A mãe que não bebe nem fuma, mas não perde uma festa. a mais independente de todos nós. a que organiza as contas, os mapas, os guias... vou ficar desamparada...
à tarde vai a Laura... a chavala que se porta como uma chavala... lá se vai o humor negro, a fragilidade e as piadas cruéis. lá se vai a professora de inglês... Mas tb a vou ver em Berlim... sse bem
Quarta, não sei a que horas vai embora o Kêlig... o testo da minha panela, como disse a Dani. o meu twin, como disse ele mesmo. vai embora o meu amigo, companheiro, daqueles com com se fala com olhares. Adeus mestre da cozinha, companhia das festas de drum, das noites intermináveis, dos cafés matinais, do primeiro dia de praia, das compras em lojas de segunda mão. Adeus ao meu fotógrafo pessoal e preferido, ao melhor guia turístico e ao pior co-piloto... com ele vai uma grande parte de mim.
Ponto final Parágrafo. Quando o Kê for termina para mim a primeira fase do meu voluntariado. Estou agora exactamente a meio. Vou ter que reconstruir toda a minha rede de amigos, apostar mais nos que ficam. começar do início, do zero, dedicar-me aos locais...
Mas por um lado estou quase que ansiosa que este dia chegue e que se acabe com esta sensação de perda e impotência e saudades do futuro. quero que chegue para acabar com a baba e o ranho!
Começa quarta-feira: EVS take II

3 comentários:

Rabodesaia disse...

Penso muitas vezes se teria essa tua força de reconheçar e de reconstruir tudo de novo...
acho que não... acho que sim...

Miss Lee disse...

não tenho alternativa... é essa a minha força! a necessidade é a mãe do engenho, já dizia não-sei-quem! cumprimentos de tornozelos à mostra, Maria

Ze_Porvinho disse...

Cara miss lee,

Para cada fim há um novo começo.

Mas, para certas e determinadas coisas, fim é uma palavra muito drástica.

Que tal, em vez de fim e recomeço, ausência física forçada até à próxima vez?

E que tal, sem menosprezar as novas companhias, manter os laços apertados que criou sempre vivos em Si (o que, certamente, vai suceder)?

Good luck for it... hey, it's sad, but think of all the good stuff that you've been through with all of them! Doesn´t it bring a smile into your face, in spite of the tears and the emptyness? Keep them in mind and in heart... Maybe, just maybe, that would help a little bit...

Cumprimentos solidários e, inevitavelmente, vínicos.

Hic Hic Hurra