quarta-feira, agosto 22, 2007

as perguntas dos leitores

Post 114 - "Os setes da vida", 2º parágrafo. A Raquel, que esteve em Tallinn quando a neve ainda derretia nos telhados fez-me uma questão muito pertinente: Onde é que eu vou estar daqui a sete meses?? É uma questão do caraças... se eu não a conhecesse diria que é jornalista!! A esta questão eu só sei dar não respostas... não consigo formular uma resposta 100% certa. Ora, na Estónia não vou estar... Talvez em Portugal, talvez em Espanha, talvez na Alemanha... Talvez num outro sítio qualquer. Na pior das hipóteses, estarei de volta à terra natal, com o mesmo emprego de há um ano atrás, a aturar os mesmos politiqueiros de merda, a beber café nos mesmos sítios de há tanto tempo... Isto é o que mais me assusta que aconteça: Voltar à estaca zero! Tenho medo de perder tudo o que aprendi, que se me fechem os horizontes, que me preguicem (esta palavra existe??) as ideias de iniciativas! Eu tinha pensado em voltar à terra mãe, falar com o patrão, tentar voltar ao mesmo emprego, fazer estágio profissional, juntar uns trocos e em 2009 embarcar em nova aventura. Abroad. Falei com a pita amiga e colega de trabalho que compreende este plano melhor que ninguém. Mas... assusta-me muito voltar ao início. Como se a Estónia tivesse sido apenas um parêntesis na minha existência. O que eu quero é que esta experiência seja o início de alguma coisa e não apenas uma interrupção...
Então, Raquel, eu não sei onde estarei daqui a sete meses porque não tenho um plano... A semana passada candidatei-me a um estágio remunerado ao abrigo do programa Robert Schuman, do Parlamento Europeu. As bolsas deste programa permitem aos estagiários trabalharem no Luxemburgo, em França ou na Bélgica. Mas as bolsas para jornalistas dão aos candidatos a oportunidade de escolher um Centro de Informação em qualquer capital europeia, mais algumas cidades... Então, depois de cuidadosamente preencher a ficha de candidatura deparei-me com a seguinte pergunta: "Where would you like to work?". E respondi muito sinceramente: "Barcelona" como primeira opção e "Berlim" como segunda. Portanto, em Dezembro quando saírem os resultados ficarei a saber se vou trabalhar, por 5 meses a começar em Março, em algum departamento do Parlamento Europeu. Por isso, daqui a 7 meses pode ser que esteja algures numa cidade europeia.
Se a resposta for negativa... olha, minha cara, não sei! Sei o que não quero, mas não sei o que quero, não sei em busca de quê devo ir. Não sei se quero ser jornalista, se quero voltar a estudar (mas não me parece)... Gostava de continuar a ser voluntária, mas desta feita algures onde possa mesmo fazer a diferença e ver os resultados práticos da minha acção a curto prazo. Quem me conhece bem, sabe que gostaria de ir para a América Latina, por uns tempos largos. Gostava de trabalhar na Rede de Cidades Sustentáveis, arregaçar as mangas e trabalhar com pessoas em reais problemas. Processar lixo, ensinar a ler e a contar, transmitir informação sobre doenças venéreas e merdas afins. Gostava de voltar a ter 18 anos e pensar que posso mudar o mundo! Mas acho que estou no bom caminho para mudar o meu mundo. Gosto de ser voluntária, de não ter quase nada e querer sempre mais, de viajar sem dinheiro, contar apenas comigo e com as pessoas que vou conhecendo ao longo do caminho. Gosto que as pessoas reconheçam o meu esforço por fazer alguma coisa positiva pelo mundo deles. Quero continuar a fazer pingar pequenas gotas de verde nesta grande bola azul-cinza.
Isto é tudo muito bonito, mas... sejamos sinceras... O mais certo é que não resulte ou que leve muito tempo a resultar! Se assim for, só há uma coisa que eu te posso dizer: é que prefiro servir à mesa em Barcelona a trabalhar num pasquim ou em publicidade na minha terra natal (que eu adoro e que julgo ser um óptimo sítio para se crescer e da qual sinto muitas saudades)!
Seja como for, 4000 km a Leste, 10 000 a Oeste ou no ponto zero, vou certamente continuar a manter este diário de bordo. E onde quer que esteja tu e todos os que me lêem são benvindos! =)

2 comentários:

Anónimo disse...

Olá Lee! Acabo de te ler e confesso, tenho um aperto no peito...como te compreendo!
Pelo que conheci de ti tenho a certeza que vamos continuar a acompanhar a tua luta por um mundo melhor!
Raquel
Aqui também há estágios ...http://www.reper-portugal.be/UEPT.htm
http://www.drh-norway.org/

Ze_Porvinho disse...

Cara miss lee,

Eu cá sei que gosto de a ler, irei continuar a ler o que escreve, a menos que corra comigo com sete pedras na mão (e eu lá perdia esta oportunidade de trazer para aqui o seu número preferido?) e devo dizer-lhe que, aconteça o que acontecer, quando começamos a alterar o nosso pequeno mundo verificamos que também outros pequenos mundos que giram em nosso redor se alteram e que, quem sabe, um dia o grande mundo vai ser mesmo alterado.

E nós todos, como sabe, podemos mudar o mundo!

Hic Hic Hurra