terça-feira, novembro 20, 2007

a visita da Bri ou a nossa ida a Vilnius

Chegámos a Vilnius de madrugada, mas a cidade já estava acordada e a mexer. Foi o primeiro sinal de que estávamos na maior capital do Báltico, com quase o dobro da população que de Tallinn.
Fomos para casa da Tânia, que nos acolheu com o melhor da hospitalidade portuguesa. Depois de dormir um bocadinho, fomos, ainda de manhã, para o centro. à primeira vista Vilnius não me pareceu assim tão diferente de Tallinn, à excepção do tamanho... Tem um rio, coisa que Riga tem, mas Tallinn não (podemos considerar o Pirita Jogi como um rio, mas para mim é um riacho, tanto que a cidade não se desenvolveu em volta dele, não passa pelo centro, nem perto).
Chegadas ao centro deparámo-nos com uma espécie de Corso carnavalesco das escolas. Havia centenas de miúdos vestidos de tudo e mais alguma coisa e muitos com trajes tradicionais

que não são assim tão diferentes dos estonianos. As mesmas saias coloridas, as mesmas fitas a penderem das "tiaras"...
Demos umas voltas no centro histórico e as comparações com Tallinn são inevitáveis. a cidade velha de Vilnius não tem o charme que tem a de Tallinn onde tudo está bonitinho e arranjadinho para finlandês ver. Em Vilnius vimos muita coisa em reconstrução ou recuperação, num claro esforço para atrair mais turistas, objectivo que me parece de fácil alcance. Há imensos templos de diferentes cultos, uns mais bonitos que outros, mas falta-lhe as casinhas catitas, as ruas de paralelos, os cafés pitorescos! Tive, em Vilnius, a mesma sensação que em Berlim: é uma cidade normal! Bonita, sem dúvida, mais que Riga, muito menos que Tallinn.
No entanto, o que mais me chamou a atenção na capital da Lituânia, foi mesmo a diversidade de pessoas. Muitas vezes me queixei (e continou a fazê-lo) que, em Tallinn, as pessoas são todas muito louras, muito magras, muito parecidas. Consequentemente tudo o que é diferente salta à vista de uma maneira parva! Pessoas "de côr" devem ser tantas como os dedos de duas mãos, ciganos nunca vi... rastalhudos vejo dois ou três por semana, vejo menos punks ainda... Mas em Vilnius, como em Helsínquia vi um pouco de tudo, principalmente polacos! Pretos, brancos, amarelos, ciganos, louros, morenos, baixos, gordos, freaks, tias... É das coisas de que sinto mais falta em Tallinn: o misturar-me no meio da multidão, ser apenas mais uma, passar despercebida! Não que as pessoas me apontem na rua ou me olhem de forma estranha, mas nunca me tomam por local, respondem-me quase sempre em inglês (mesmo quando me esforço por falar uma das línguas locais), enfim, notam que (mesmo ao fim de um ano) eu não sou de cá...
Deixemo-nos de divagações e voltemos a Vilnius. O que a cidade não tem arquitectura catita (salvo algumas excepções, principalmente religiosas) compensa em espaços verdes, agradáveis, bem cuidados. Creio que na Primavera sejam aprazíveis, no Verão agradável, no Inverno gelados, mas no Outono são incríveis!! Eu já aqui referi que nunca me tinha apercebido da beleza do Outono, e em Vilnius voltei a ter a mesma sensação... o barulho de caminhas sobre as folhas caídas, ou vê-las ondulantes em dezenas de tons avermelhados, amarelados ou esverdeados! Se quiserem ir a Vilnius, façam-no no Outono, quando a vaga de turistas já partiu. Pode ser que, como nós, apanhem um fim de semana com tempo de Verão!! =)
Fomos ao topo de um desses parques, chamado

as três cruzes. A vista que se tem lá de cima para a cidade é bonita, mas no Inverno deve ser muito melhor! É que as árvores, ainda frondosas, não deixam ver muito do centro da cidade. Não deixam ver a magnífica catedral mesmo no centro, com uma enorme praça em frente, onde assistimos a um concerto meio freak...
Mas como prova da bela arquitectura religiosa da cidade e das cores do outono...

aí fica, o que julgo ser a fachada da igreja de Santa Ana... Mas elas (as igrejas, não as santas) são tantas que pode estar a dizer asneira!
De qualquer maneira não entrámos para confirmar. Em Vilnius voltámos ao estado: Turista preguiçoso! Fartámo-nos de andar, é um facto, mas não entrámos em lado nenhum, excepto cafés, bares, restaurantes e supermercados. O que me leva a pensar que a vida na Lituânia é ligeiramente mais barata que na capital da Estónia. Mas numa semana ele foi euros, Coroas (15.57 = 1 euro), Lats (0,67= 1 euro) e Litas (3,45=1 euro), o que me confundiu bastante e pode induzier-me a dizer asneira, novamente!
Outra diferença a registar entre Tallinn e as outras capitais do Báltico. Aqui a praça principal (na cidade velha) é a da Câmara Municipal, onde se faz o mercado de Natal e onde todo o povo se encontra. Em Riga e em Vilnius, deu-me a sensação que as praças mais importantes são-no à sombra de igrejas ou catedrais. Em Riga confirmei-o com o mercado de Natal e a pista de patinagem (em Janeiro, note-se) e em Vilnius pela quantidade estúpida de pessoas, na praça da tal catedral, em oposição à praça vazia da câmara municipal.
Mas o mais interessante da câmara municipal de Vilnius é esta placa

bem, são duas. Na de cima está a inscrição referente ao centro histórico de Vilnius ser parte da lista da UNESCO de lugares - Património da Humanidade desde 1994. Na placa de baixo lê-se: "Anyone who would choose Lithuania as an enemy has also made an enemy of the United States of America". A citação está creditada: "George W. Bush President of the U.S. Vilnius City Hall, November 23rd, 2002". Eu colei a olhar para a placa... a Brigite disse: "A isto é que eu chamo ter as costas quentes!"
Mas deixemo-nos de americanices e voltemos a europeices! Como não podia deixar de ser, fim de semana e tal, lá fomos sair com os voluntários de Vilnius. E mais uma vez as comparações são inevitáveis. Há mais rapazes que em Tallinn (e alguns são bem giros), um ponto para Vilnius. Mas os adolescentes alemães estão em todo o lado... impossível! Mas na Lithuania têm um austríaco que fala inglês com pronúncia de italino, e um italiano que é um doce (de pessoa, claro)!

o registo: de branco a Linda, finlandesa, ao seu lado a Marcella, alemã. Depois, o Fausto, o tal tiramissu, abaixo dele, a nossa afitriã, a tuga Tânia, ao lado dela uma francesa tão baixinha como irritante e mais uma alemã que não me lembro do nome. Ah! pois, a outra, de boca aberta, sou eu!

3 comentários:

Chic-Insanne disse...

Pah já ouvi falar dessa cena bué vezes no teu blog e no do Tuga na checa e não sei como isso se processa! Antes de ir tens de me ensinar Big Sister.
Big Kiss

Rabodesaia disse...

lee tenho visto por todo o lado no metro de lisboa publicidade a uma tal de feira de natal em tallin!!!
Publicita ai no blog!!
sabes do que se trata??
com um título homens NUS e gajas boas em tallin! LOLOLO

Rabodesaia disse...

lee esta publicitado essa tal feira em tallin... a parte de homens nus e gajas boas... já é a parte de ficção na minha cabeça! LOLO
com esse titulo, talvez atraisse mais pessoas do que " feira de natal" certo??
eu com a mania que sou marketeer....
o meu namorado bem me diz para um nunca perder o meu emprego!!