domingo, abril 29, 2007

Motins em Tallinn

Há muito tempo que ando para escrever sobre as relações entre russos e estonianos. Agora já não dá para fugir.
Na quinta-feira estalou a bomba entre as duas comunidades e a cidade tem assistido a motins desde então.
No centro da cidade havia uma estátua de um soldado do exército vermelho. Estava lá desde 1947, como uma homenagem aos homens que morreram do lado soviético a combater o exército nazi, "a salvar a europa do fascismo". Diz-se que no perímetro do monumento estão enterrados os corpos de 14 soldados do exército soviético.
Desde então veteranos de guerra juntam-se no monumento em datas comemorativas, para prestar as suas homenagens. No ano passado, 9 de Maio, quando aqui se comemora o fim da IIGM e a libertação, a polícia teve que impedir nacionalistas estonianos de se manifestarem perto do monumento, porque já lá estavam veteranos de guerra e muitos russos.
Desde esse dia que o monumento tem estado sobre vigilância policial e de uma organização russa, 24 horas por dia.
O mês passado o governo estoniano aprovou uma lei "War Graves protection" para deslocar de locais impróprios cemiterios de guerra. Ou seja, para tirar o monumento do centro da cidade. O presidente vetou a lei, à primeira, mas acavou por se deixar levar pelo novo governo (uma coligação entre o partido reformista, social democrata e nacionalista...nada faxos, portanto).
Na madrugada de quarta para quinta feira foi montada uma enorme tenda branca sobre o monumento, colocada vedação em volta e uns placares que dizem "escavações arqueológicas". A estátua do soldado foi removida para uma localização desconhecida, mas o governo garante que se mantém intacta.
Durante a tarde centenas de russos e estonos juntaram-se nas imediações do monumento.  Uns para manifestar o seu descontentamento e outros para verem o que se passava. eu também lá fui ver. As pessoas estavam calmas, apenas gritando, muito de quando em vez, "Pazor" ("vergonha"). Só ha a referir que os mais exaltados eram da categoria: bebâdos russos e jovens, muito novos. Uma barreira policial foi montada entre a vedação e os manifestantes. Muitos cravos vermelhos e cartazes com dizeres do género: "Eu sou contra o vandalismo", "Fascismo nunca mais", "Welcome to Estonia"...
Antes da hora de jantar pressenti uma agitação na multidao e fugi a sete pés!! Também porque estava atrasada para um belo jantar, mas fugi como o diabo foge da cruz!
Depois de uma lasanha de espinafres com blue cheese fomos ao concerto dos espanhóis Ojos de Brujo. Foi lindo, brutal, mucho calor!!
Quando saimos do concerto, fomos em direcção ao centro da cidade para beber um fino e acalmar o ritmo cardíaco antes de irmos dormir... mas deparámo-nos com o caos instalado. Centenas de pessoas nas ruas, montras partidas, carros virados, lojas assaltadas... tivemos que dar a volta a meia cidade velha para conseguirmos entrar, porque a polícia não deixava niguém passar... pelo caminho muita gente ensanguentada, outros algemados, presos a postes de electricidade, o fim!
Esplanadas destruídas, paragens de autocarro vandalizadas, mas a casa de Portugal (o mercado que não tem bacalhau) estava intacta. Muitos bares estavam fechados, mas os bancos tinham as janelas "abertas"...
Sexta feira de manhã fui tirar umas fotos para o jornal, a uma escola. Tudo normal. Quando me sentei en frente ao mac a ler as notícias... tive muito medo! Um morto (russo esfaqueado por russo), 60 feridos (10 dos quais polícias), quase 300 detidos. Diz-se que o governo fechou as fronteiras com a Rússia, bem como as fronteiras de Tallinn com o resto do país, mas eu não encontro confirmação oficial sobre isto. A venda de alcool em supermercados e lojas esta proibida até 3 de Maio, jovens russos foram deportados para a Rússia e os protestos continuaram pela noite fora...
Balas de borracha, canhões de água, gás pimenta e muitos cacetetes. Mas há que dizer que a polícia estoniana é extremamente pacífica, eu diria até de mais! E há que referir que a maioria dos amotinados são muito jovens ou muito velhos. Todos com os copos!
Os protestos alastraram-se ao resto do país. A Rússia anunciou o corte das relações diplomáticas e um boicote aos produtos estonianos. Uma barreira foi construída em frente ao parlamento estoniano, está literalmente barricado. Entretanto o presidente da República endereçou uma mensagens a todos os habitantes da Estónia... Além de extremamente diplomática é um bocado provocadora...
Ontem (sábado) à noite as coisas etiveram mais calmas. a maioria dos bares estava fechada ou às moscas... Havia imensos polícias na rua, muitos mesmo. Hoje é o mesmo homens de azul por todo o lado! As montras continuam partidas e há um ambiente muito pesado nas ruas... mas não se preocupem comigo que não sou maluca o suficiente para me meter no meio da confusão.
deixo-vos aqui duas fotos da AFP, da primeira noite de confrontos...



amigos jornalistas, se precisarem de uma correspondente, já sabem!!

4 comentários:

Anónimo disse...

Olá LEE! Acabo de enviar um mail a saber de ti mas eis que venho ao teu blog e fico logo esclarecisíssima! Uma vez mais excelentes fotos e pormenorizada explicação dos últimos acontecimentos.Tem cuidado rapariga ;) Beijos!
Raquel

Mexicano em horky disse...

Porra, ja se previa esta merda, mas contigo ai é diferente!!
Nao te ponhas armada em reporter x ou o caralho hein??

Beijo.

Ze_Porvinho disse...

Cara miss lee,

Um impressionante relato, na primeira pessoa, pelo qual lhe dou os merecidos parabéns.

Agora reforço o conselho mexicano... olhe que para ser contratada como correspondente tem de estar em condições para isso, está bem?

Cumprimentos vínicos.

Hic Hic Hurra

PS - De vez em quando uns quantos iluminados ascendem ao poder: depois é o que se vê! No final, descobrimos que estamos todos... fundidos!!!!

agarb disse...

miuda..... como diz gabriel o pensador

eles que fumem o cachimbo da paz!!!