terça-feira, abril 03, 2007

a semana passada III

As semanas são passadas com alguma normalidade. Aula de russo à segunda, que é como quem diz: lavagem cerebral durante três horas. Já não me lembrava do que era sentir-me exausta após uma aula desde os tempos da Peixinho ou do Figueira. Agora temos duas professoras de russo. São as duas da minha idade (faço 24 para a semana, para quem não sabe ou não se lembrava) e estudantes de mestrado. Quer isto dizer que uma delas é super querida e simpática, falamos com ela com linguagem informal e dá-nos mais tempo para os exercícios. A outra já tem mais experiência em dar aulas, puxa mais por nós e não há cá “Privet” (uma espécie de “Olá” informal) para ninguém! Depois da aula volto para o escritório, bulo mais um bocado e está feito.
Á terça feira geralmente trabalho toda a tarde no escritório sem nada de muito interessante para relatar aqui. Na quarta de manhã fui fotografar uma cabeleireira a pôr extensões numa cabeça amarela… as coisas que eu faço para o jornal… As miúdas que trabalham comigo disseram-me que me vão levar ao jornal para eu firmar contrato com os gajos. Dizem que me vão pagar 100 kroons (pouco mais de 6 euros… uma miséria) por foto. Mas isto já foi há umas semana e sempre que pergunto quando lá vamos… “Next week… next week”. A boa notícia é que já devo ter umas boa coroas a receber, dado o acumulado!!
À noite fomos beber uma bjeca, dar ao serrote, acertar umas contas… o costume. Na quinta passei a tarde a preparar a reunião com os miúdos que não apareceram… Mas não dá para os censurar! É normal que aos primeiros raios de sol não queiram estar rancados numa sala a ouvir uma tuga mandar umas postas sobre teorias do jornalismo! Mas bom bom foi quando o boss da organização me disse: “we have too much office work to do today and tomorrow. I guess we say say you goodbye until monday.” Sexta-feira livre!! Urray! Ainda na quinta fui jantar a casa do pessoal, porque os fins de semana para nós começam cedo, cedinho. E era preciso orientar a comitiva para o aniversário da Katha, a alemã que agora tem 20 aninhos!
Então na sexta quando acordei tratei de fazer a minha parte do presente: bolo de chocolate, receita da mãe da Ana Maria. Fui comprar as cenas e quando cheguei a casa lembrei-me que não tinha batedeira… Bota aí a dar ao bracinho… old school! À tarde fui ter com o Christian para apanharmos sol =) A Gabi ligou-me e entretanto éramos duas tugas e dois italianos a estiar ao sol! Isto pede mesmo uma cerveja e uma bela vista.

Mas aqui apanhar um solinho não é como estiar nos jardins da AAC ou no Adamastor. Por volta das 5 da tarde começa a ficar fresquinho e a brisa rápido se transforma em vento gelado! Time to go home! O pessoal que foi comprar a prenda para a alemã ficou de lá vir jantar a casa e só tivemos mesmo tempo de comer e de nos fazermos à estrada! Eu estava com semelhante dor de cabeça que nem me deu para tirar fotos… Não tenho nenhuma da aniversariante, mas tenho das prendas!


Ainda lhe demos umas canetas para escrever no corpo! Lol Uma de sabor a morango e outra de sabor a chocolate! Esperemos que o Ben goste. =P
Finda a festa em casa da catraia, fomos ao Vali bar, de que já vos falei. Parece uma tasca e o martini vale pouco mais de um euro! Uma alegria, portanto. Mas como toda a tasca está cheia de bêbado, esta não é excepção! E para senhores alcoólicos, um bando de estrangeiros é uma enorme atracção! Uns Eramus (Gabi, Xana e uns amigos) vieram ter connosco e ala que se faz tarde. Mudámos para o café onde costumamos ir apanhar sol, na praça principal. Foi a primeira vez que lhe vi o interior. Um espaço super catita, com pinta de rústico moderno, mas com tanta quinquilharia e velas e peças e pecinhas que até enjoa. Mas pronto, para mim é sempre uma alegria sair com tugas aqui. Mas com tugas de grande classe! A Gabi é da Linha e a Xana de Setúbal. A Gabi vocês já conhecem de outros posts, a Xana… para quem viveu Coimbra comigo, ela é super parecida com a Babi. Tanto que a primeira vez que a vi (no sábado de Võru People) demorei uns 10 segundos a perceber que não era a Babi!! Eu gosto destas miúdas porque são simpáticas e despachadas, sempre prontas para o andamento e é disso que esta cidade precisa!

1 comentário:

Ze_Porvinho disse...

Cara miss lee,

Terei lido bem?

Agora são duas professoras de russo?

Duas??????!!!!!!

O que, no meu caso, equivale a quatro, num dia normal????????

E são tão lindas quanto a Svetlana??????????

Se eu soubesse que isso era assim, durante os meus tempos de escola tinha despachado uma série de professoras, porque se viessem duas de 24 aninhos substituí-las eu teria tido, certamente, notas de arrasar!!!!!!

Por fim, estou comovidíssimo por reconhecer, aí na Estónia, a grande família dos beberolas, que se estende por todo o território europeu e, há que o diga, pelo mundo fora. Ainda não existe é confirmação relativamente a extra-terrestres amantes da pinga, mas tenho um primo afastado que era piloto de avião e fazia muito a rota do Triângulo das Bermudas (que eram 3 Triângulos, na sua opinião)que jura a pés juntos que um dia tomou um copo numa nave espacial com uns alienígenas amistosos que lhe deram a provar uma bebida que sabia a martini com gasosa e era proveniente das tetas de um Mashkiviri (não sei se se escreve assim) que apanharam à solta algures pela via vínica (sim, porque eles detestavam a via láctea).

Hic Hic Hurra